O Misterioso Navio Fantasma...

Era dezembro de 2008, quando tive a oportunidade de descer novamente para o Litoral Paulista. 

Durante a descida da serra, um forte nevoeiro tomou conta da pista completamente, fazendo com que todos os veículos reduzissem a velocidade. 

Eu confesso que nunca tinha visto uma neblina tão densa como aquela que, cinematograficamente, conseguiu transformar aquele local num cenário fantasmagórico, muito parecido com o daquelas ilhas perdidas, no meio do nada.

Não dava mais pra ver o céu e a cada 20 metros que eu avançava naquela rodovia a névoa ficava ainda mais densa.

Misteriosamente, vinda do nada, a imagem de um grande e velho navio surgiu na minha frente, bem no meio daquele nevoeiro. Antes mesmo que eu forçasse a visão ou freasse o carro, em frações de segundos aquela imagem desapareceu. Achei até mesmo que, acidentalmente, eu tivesse caído  no sono. Procurei ficar alerta novamente, prestando muito mais atenção na pista.

Que coisa mais esquisita! Comentei com todos ali dentro do veículo, mas ninguém tinha visto nada.

Chegando a Ubatuba (SP), nos hospedamos numa pousada, onde pretendíamos ficar por aproximadamente sete dias. No quinto dia, acordei bem de manhãzinha e fui fazer minha caminhada. Resolvi andar até o antigo centro e ir ao Terminal Marítimo Comodoro Magalhães.

Fiquei alguns minutos naquele local observando as coisas, lendo algumas placas, até que um mendigo se aproximou de mim  e pediu fogo para acender o seu cigarro. Embora eu não pudesse atendê-lo, pois tinha deixado de fumar havia algum tempo, aproveitei a ocasião para matar minha curiosidade e comecei a lhe perguntar sobre aquele local. Para minha surpresa, uma história fantástica foi revelada...

Seu nome era Jonas e aparentava ter seus 50 anos de idade. Embora tivesse um aspecto de maluco, falava muito bem e tinha absoluta convicção sobre a sua história, que alegava ser absolutamente verídica.

Ele contou que era um foragido, não da polícia, mas de um espírito. Jonas, no passado, em outras vidas remotas, havia cometido um crime bárbaro.

Provavelmente no século XVI, ele havia se casado com uma das filhas de um capitão português, aqui mesmo, no Brasil. Porém, foi traído por ela, simplesmente por riquezas, com o seu melhor amigo. Não podendo suportar a dor da traição, acabou degolando os dois e jogando seus corpos no mar.

Jonas não foi apanhado em flagrante, mas, por ser o único suspeito, ficou preso em uma cela aguardando o julgamento.

Dentro dessa cela havia um lindo quadro pendurado na parede, presente recebido de um prisioneiro espanhol, que passou seus últimos dias naquele local. O espanhol conquistou a amizade de Jonas e deixou para ele aquele quadro mágico, dizendo que se ele realmente acreditasse e pedisse com fé, seria levado por aquele navio da pintura e escaparia até mesmo da morte. Jonas olhava sempre para aquele quadro, porém, não conseguia entender como aquilo poderia lhe ajudar.

Certo dia, após um julgamento rápido, recebeu sua sentença: Seria morto no dia seguinte, enforcado em praça pública.

Jonas, muito apavorado e sozinho na sua cela, cansou de rezar, de fazer suas orações católicas. Resolveu, então, fazer um pedido para as forças do mal, oferecendo sua alma como pagamento. 

Olhando com muita fé para o desenho emoldurado ele foi, aos poucos, sumindo fisicamente deste mundo e surgindo dentro do navio retratado naquele quadro.

Entretanto, ao chegar ao outro lado, o que Jonas presenciou era completamente apavorante. Ele se entregara ao convés de um verdadeiro navio satânico, onde havia muitas almas prisioneiras e condenadas a trabalhar por toda a eternidade.

Jonas, arrependendo-se do que havia feito se suicidou pulando em alto mar e caiu novamente neste mundo, regido por misteriosas forças sobrenaturais. A partir daí, ele começou a fugir do seu destino.

No dia seguinte, não encontrando na cela o prisioneiro para ser levado à forca, o Capitão Rodrigues ficou muito furioso e também se vendeu ao demônio.

O mendigo contou que sempre sonha que aquele navio está sendo guiado pelo espírito do Capitão Rodrigues, procurando por ele nos quatro cantos deste mundo. Mas, enquanto ele estiver protegido pelo seu crucifixo, seu arrependimento e por sua fé, abdicando, ainda, completamente do dinheiro, jamais poderá ser encontrado pelo capitão.

Ele não consegue se lembrar exatamente da localidade onde nasceu e também não sabe como foi parar  em Ubatuba. Não conhece seu verdadeiro nome e nem mesmo a sua família. Não possui sequer algum documento. Simplesmente foge da sua maldição, ou melhor, daquele navio fantasma, guiado pelo Capitão Rodrigues e pelas forças do mal...




   
                              
Pintura de Beksinski.     Revisado por:  Elabora Textos

18 comentários:

  1. Este também é bom cara, legal.
    http://negativeuniverse.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Valeu J.C. !!! Estou seguindo o seu blog...
    Obrigado pela visita e um grande abraço !

    ResponderExcluir
  3. Oi André, tudo bem?
    Vim conhecer teu blog, pela referência que está lá no blog de meu amigo Bentinho Sales.
    Muito bom mesmo! Teus contos fantásticos são bem envolventes, muito bem-escritos, apreciei mesmo. Vou dar mais uma olhadinha agora!
    Estou seguindo teu blog e te convido a conhecer o meu.
    Grande abraço! Volto.

    Humoremconto
    http://anaceciliaromeu.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Ola André, fiquei feliz com sua visita no meu blog. Faço do seu comentário o meu comentário. Com certeza o http://historiasdoandrevicttor.blogspot.com é um ótimo blog. Adorei os contos.
    http://necroturismo.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  5. Cecília,
    Obrigado por sua visita ao meu Blog !
    O Bento é um cara sensacional, uma jóia rara hoje em dia... Fiquei muito feliz pelo seu comentário e já estou indo lá seguir e conhecer o seu Blog também ! Seja sempre bem-vinda por aqui, viu !
    Bjs


    Gines,
    Obrigado por visitar meu Blog mais uma vez e ler os meus contos... Vou também voltar lá no seu Blog mais vezes, pois encontrei muita matéria interessante por lá...
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. André, eu e a Taci ficamos felizes por vocês terem gostado da homenagem. Vocês merecem pelo talento e pela nossa amizade.
    A Celília é minha grande amiga e de grande talento também no conto.

    Abraços meu e da Taci para você e Juliana!

    ResponderExcluir
  7. André seu conto realmente é fantástico, que inspiração meu amigo, este seu blog faz eu esquecer o quanto estou em atraso com os amigos, a vontade que dá é de ficar lendo estes seus belos contos, beijos e parabéns pelo talento, Luconi

    ResponderExcluir
  8. André como sempre seu conto não deixa nada a desejar adorei.
    Tem um selo pra vc no blog.
    Bjus
    Claudia

    ResponderExcluir
  9. Luconi e Cláudia (Valery),

    A literatura é muito mágica. Dê um pouquinho de atenção à ela e então serás levado para navegar em outras águas...

    Obrigado pelos dizeres ! Bjs

    ResponderExcluir
  10. Olá estimado Victtor,

    O que faz um crime passional!
    Homem não tolera traição, mulher perdoa, na maior parte dos casos.
    E o pobre homem nem sequer sabe sua idendidade?
    Vive no assombro do Capitão Rodrigues.
    Bom fim de semana.

    Beijos de luz.

    ResponderExcluir
  11. Mais um história de arrepiar... O que mais gosto é essa mistura com realidade. Quantos mendigos como esse andam por aí contando histórias e sendo classificados como malucos? Como saber se são mesmo maluquices, não?
    Parabéns, André, por mais esse conto fantástico.
    Beijo!
    Rosane

    ResponderExcluir
  12. Obrigado Rosane ! Isso que você disse realmente é uma verdade: Como saber se são mesmo maluquices ?
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Luz, ele é um foragido e o Capitão Rodrigues irá procurá-lo até no final dos tempos... rs.rs.rs
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Olá André,

    Gosto de contos sobrenaturais. E este seu é muito bom. "almas prisioneiras, condenadas a trabalhar eternamente"...arrepiante/!

    Vou seguir. Sinta-se convidadíssimo a conhecer o meu meu blog e seguir também se gostar, claro. rs

    http://contosdarosa.blogspot.com

    Abraços♫

    ResponderExcluir
  15. Oi Rosa, seja bem-vinda !
    Contos sobrenaturais são geralmente muito saborosos... eu particularmente adoro ! rs.rs.rs
    Pode deixar que vou lá sim conhecer o seu blog e segui-lo também, ok ! Bjs...

    ResponderExcluir
  16. André, tenho uma amiga, que tem um blog de resenhas, ela está começando...mas já fechou parceria comigo e a Adriana Vargas. Queria saber se vc estaria interessado em fazer parceria com ela...Como ela está começando, eu a estou ajudando a conseguir contatos e também a divulgar as resenhas, assim como os sorteios.
    Ela lê, faz a resenha, sorteio do livro, publica no skoob, e se vc quiser no face , assim como, orkut...e também podem ver de entrevista...tudo para divulgar bem legal o livro.
    No aguardo. Se vc tiver interesse, passo o e-mail dela para vc.
    Beijinhos

    Marli Carmen Jachnkee

    ResponderExcluir
  17. Oi André, parabéns pelo conto e obrigado por me seguir. Literatura fantástica é a minha área tb.

    Voltarei aqui mais vezes

    Um abraço :)

    ResponderExcluir
  18. Valeu Marcelo, um colega escritor é sempre bem-vindo por aqui ! Um abração !

    ResponderExcluir